quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Três goles depois

Amada Rainha de Copas


Tive uma conversa besta sobre o grande amor da vida de quem estava no momento e não consegui pensar em outra pessoa senão você Rainha. Você como o grande amor da minha vida. O bom disso tudo que não foi uma lembrança tão atordoada quanto as outras. Eu lembrei de você. Apenas isso.

Após isso lembrei de um fato mais passado que você. Quando a Rainha de Espadas, a senhora minha Mãe, se separou do Dez de Paus, meu pai (lembre-se da minha desconfiança com os Dez). Ela me confidenciou que achava que o grande amor da vida era um Rei de Copas que ela conheceu na juventude. Porem, quando o reencontrou deles aconteceu (depois da separação, claro) ela não sentiu nada demais. Era apenas alguém de um passado distante.Especial, mas distante. Nem chegou a rolar nada.

Em seguida lembrei do antigo Rei de Espadas, meu avô. De como ele me falava de minha avó como seu grande amor e que mesmo depois de sua morte ele viveu, de forma muito bem vivida.

Depois lembrei daquela Rainha de Ouros que namorei por um tempo e você morria de ciúmes. Lembro dela ter me dito que eu era o grande amor da vida dela e eu dizer a ela que eu podia, muito bem, ser o grande amor da vida dela e não estar com ela. Uma coisa não dependia da outra.

Então vi que devia a muito ter absorvido todas essas lições para mim mesmo. Tentei faze-lo naquela hora e você não sabe como o resto do meu dia foi feliz por isso.

Eu te amo Rainha. Te amo muito. No entanto, não largaria aonde cheguei em minha vida para estar com você como antes. Teria que ser tudo novo. Tudo adaptado as situações do agora, então não seria agente novamente. Seriamos somente seres de um passado distante. Especial, mas distante.

A vida segue seu curso Rainha e eu estou seguindo o curso da minha...


Amorosamente


Rei de Espadas

Nenhum comentário: