sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

1 milésimo de segundo para o fim do mundo

Passada Rainha de Copas


Hoje me dei conta que devo dar uma organizada nos meus aposentos. Aquilo ta uma bagunça! Acho que você ainda se lembra dele no estado de eu pensar em organizá-lo. Você é especialista em guardar memórias ruins, então deve lembrar. Bem, lembrado ou não, não faz diferença para o que eu tenho a dizer.

Tentando ter uma visão geral da bagunça, vi num canto da prateleira um antigo presente seu. Um livro que, na época, eu queria tanto e que você adiantou uma data comemorativa para me dar.

Uma data que na verdade não existia e agente chamava de “Dia D’agente”. Haviam três no mês, mas só trocavamos presentes no passar de anos de cada uma. Outra informação irrelevante para o que realmente quero dizer.

Indo direto ao ponto, Rainha. Desde que você se foi não olho esse livro. O vejo sempre, mas nunca mais abri suas paginas. Tive vontade algumas vezes, mas não tive coragem. Não sabia bem porque, mas não fazia.

Hoje olhando, de longe, sua barra lateral azul em minha estante, eu descobri porque não o olho. Na contracapa amarela a uma dedicação sua. Sua letra em tinta azul no canto inferior direito. Diferente das dedicatórias normais de quando se presenteia livros, essa é na verdade, uma jura de amor. Um pedido, a quem não sei, de estivéssemos juntos por mais tempo adiante.

Não lembro mais o que está escrito exatamente. Também não tenho coragem de reler. Não tenho coragem nem de abrir o livro (o que é uma pena já que se trata de um livro de gravuras), quanto mais reler o que você me escreveu nele.

No fim, fica tudo estático. O livro fica na estante, vezes me chamando, outras me afastando. Eu, fico na covardia de não abri-lo. E lá fora o sol nasce e se põe novamente.

Esses caquinhos são tudo que resta de você na minha vida nesses dias, Rainha. Breve, não haverá nem eles. Sei que você deve está achando que já ouviu isso antes, mas nunca pareceu tão real quanto agora. Há outra Rainha agora e mesmo se não houvesse, há certeza no meu coração, convicção para o futuro e conforto para o passado. Sou rei. Sou Rei de Espadas e tenho isso a honrar e honro.


Caminhando para o futuro


Rei de Espadas

Nenhum comentário: